Pesquisar este blog

domingo, 13 de julho de 2008

Os Homens

Em água e vinho se definem os homens.
Homem água. É aquele fácil e comunicativo.
Corrente, abordável, servidor e humano.
Aberto a um pedido, a um favor,
ajuda em hora difícil de um amigo, mesmo estranho.
Dá o que tem- boa vontade constante, mesmo dinheiro, se o tem.
Não espera restituição nem recompensa.
É como água corrente e ofertante,
encontradiça nos descampados de uma viagem.
Despoluída, límpida e mansa.
Serve a animais e vegetais.
Vai levada a engenhos domésticos em regueiras,
represas e açudes.
Aproveitada, não diminui seu valor, nem cobra preço.
Conspurcada seja, se alimpa pela graça de Deus
que assim a fez, servindo sempre
e à sua semelhança fez certos homens que
encontramos na vida
- os Bons da Terra - Mansos de Coração.
Água pura da humanidade.

Há também, lado-a-lado, o homem vinho.
Fechado nos seus valores inegáveis e nobreza
reconhecida.
Arrolhado seu espírito de conteúdo excelente em
todos os sentidos.
Resguardados seus méritos indiscutíveis.
Oferecido em pequenos cálices de cristal a amigos
e visitantes excelsos, privilegiados.
Não abordável, nem fácil sua confiança.
Correto. Lacrado.
Tem lugar marcado na sociedade humana.
Rigoroso.
Não se deixa conduzir - conduz.
Não improvisa - estuda, comprova.
Não aceita que o golpeiam,
defende-se antecipadamente.
Metódico, estudioso, ciente.

Há de permeio o homem vinagre,
uma réstia deles,
mas com esses não vamos perder espaço.
Há lugar na vida para todos.
Em qual dos grupos se julga situado você,
leitor amigo?

Cora Coralina
(1889-1985)
*****

4 comentários:

Carol Timm disse...

Benja,

Mais um lindo texto de Cora Coralina, o qual nunca havia lido.

Não tenho ousadia de me creditar a nenhum dos grupos mais evoluídos humanos e sinceramente, espero não estar entre os mais carecidos de luz e crescimento.

Mas é uma beleza de reflexão, não resta dúvida!

Há tantas coisas bonitas aqui e eu voltando bem devagar, após uma gripe que me deixou acamada!

Beijos e uma animada semana para nós!
Carol

Marilac disse...

Benja,
Lindo texto de Cora Coralina, eu também não conhecia este.
Interessante este modo de caracterizar em agua e vinho!
Quero ser uma mulher agua!!!Mas reconheço que ainda não posso dizer que consigo ser assim em todos os momentos.
Essa semana no trabalho pelo menos não consegui manter a calma e fiquei triste por ter entrado no clima de tensão em que todos estavam .

Que Deus nos abençoe e nos inspire a agir com amor!

Bjs
Marilac

Eternessências disse...

Creio que nossa destinação espiritual é sermos fluidos e cristalinos como a ÁGUA em seu estado original, primitivo.
Até lá, entretanto, precisamos abandonar,gradativamente, o azedume e a acidez do VINAGRE.
O VINHO é um estágio intermediário entre os dois.
Acho que ainda estou situada entre esses últimos.Mas quero sentir-me imersa na ÁGUA - meu elemento primeiro!...
Uma boa semana!
Rose.

Ela disse...

Ah, eu também almejo ser água sempre, mas... confesso, as vezes sou vinho em outras vinagre.

Mas, querer ser, refletir e buscar sempre ações... podem nos tornar cristalinos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...